Desafio

/Desafio
Desafio 2018-05-07T17:34:27+00:00

DESAFIO 1 - SEMEANDO SABERES E CULTIVANDO CIDADANIA

CAJAZEIRAS / PB
EEEFM DOM MOISES COELHO

Tipo de escola: Ensino Fundamental

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica. Orientada pelos princípios éticos, políticos e estéticos traçados pelas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica, a Base soma-se aos propósitos que direcionam a educação brasileira para a formação humana integral e para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva. A Educação financeira está entre os temas transversais que deverão constar nos currículos de todo o Brasil. É o que institui o texto introdutório do documento, homologado pelo Ministério da Educação (MEC) em dezembro do ano passado. Isto significa que, a partir de agora, esse tema passa a fazer parte de uma lista de assuntos que devem ser incorporados às propostas pedagógicas de estados e municípios. Considerando a Educação financeira um tema interdisciplinar, apenas a Base de Matemática o incorpora explicitamente. Ele aparece sugerido como “contexto” para o desenvolvimento do conteúdo em quatro habilidades (uma no 5º, uma no 6º, uma no 7º, e uma no 9º ano), todas ligadas a conteúdos típicos da matemática financeira, como porcentagem e cálculo de juros. Com a aplicação desse projeto observamos uma distinção entre Matemática financeira e Educação financeira. Enquanto a primeira é uma área que aplica conhecimentos matemáticos à análise de questões ligadas a dinheiro, a segunda está ligada à formação de comportamentos do indivíduo em relação às finanças. Com relação a educação empreendedora focamos em ações que venham promover a formação de protagonistas tornando a sala de aula mais prazerosa. A Pedagogia Empreendedora é tomada neste trabalho como ponto de partida porque se observa que os argumentos de Dolabela (2003) que as práticas empreendedoras tornam o Ensino Médio mais atrativo aos jovens e, com isto, procurar diminuir a evasão, promovendo em seu currículo uma formação através das áreas de empregabilidade que pudessem atender as exigências de um cenário cada vez mais competitivo, acelerado de grande presença tecnológica que requer indivíduos capazes de apresentar determinadas competências e atento a uma formação cidadã. No primeiro semestre as ações realizadas contaram com muito esforço de professores para diagnosticar os itens a serem trabalhados nesse ano letivo como também planejar e executar as atividades a serem desenvolvidas com a comunidade escolar. No segundo semestre, quando o conhecimento das ações do projeto já é para todos algo mais claro, as ações tendem a caminhar a passos mais largos. Afinal, escola é esse emaranhado de pessoas e coisas que se mobilizam por um único propósito que é tornar a sociedade informada, solidária e qualificada. Neste sentido, um cidadão somente se tornará completo e pronto para conviver em plenitude na sociedade quando, ao passear na História, perceber o quanto é valiosa a sua liberdade de expressão; quando ao utilizar a Matemática numa simples conta de somar, saber que não está comprando “gato por lebre”; que, ao calcular o quanto se gastará de combustível para se deslocar até a capital paraibana num dado contexto da Física, não estará comprando água por álcool, pois sabe que estas podem sim se misturar, pois aprendera com a Química; e assim por diante. Por fim, o projeto fundamenta-se em ações pontuais, realistas e pautadas na formação de um ser crítico e reflexivo em todos os sentidos, buscando, na Interdisciplinaridade, o fundamento do seu saber.


Ver perfil da equipe